Centro do Guilherme, no estado do Maranhão é o município que apresenta o maior índice de pessoas vivendo em condições de extrema pobreza, diz o IBGE.  Com aproximadamente 15 mil habitantes, o município, distante 250 km da capital São Luis, apresenta o alarmante dado de 95% da população vivendo   com menos de R$ 100,00 por mês.

A cidade está na rota da viagem que dará origem ao documentário “Além do Meu Umbigo”, e será o oitavo município a ser visitado pelo jornalista, Pedro Rodrigues Neto. ” Não é possível classificar a posição real de Centro do Guilherme neste momento. Os dados do IBGE são defasados. Centro do Guilherme chegou a ser o município mais pobre do Brasil, porém alguns indicadores mudaram  e o município já aparece em quinto em algumas pesquisas. Indiferente a isso, o fato é que o município ainda é muito pobre, subdesenvolvido”, explicou o jornalista.

Essa inconsistência nos dados, a defasagem de pesquisas e indicadores,  não incomoda o jornalista. “No final, números mostram um problema, mas  não mostram a cara das pessoas que vivem por de trás desses dados. Existem vidas, famílias, pessoas expostas a situações que mal consigo imaginar, e que se tornam estatística em conglomerados corporativos, e que precisam ser ouvidas e ter suas histórias retratadas”, explicou Neto.

Centro do Guilherme será o último município do trecho que corta o nordeste. De lá, Neto segue para São Luis, onde para por dois dias para poder enviar materiais a sua base em Curitiba, para então seguir a Belém e depois  Manaus, serão cinco dias de barco. “Centro do Guilherme encera os primeiros dois terços da viagem. Dos dez municípios mais pobres do Brasil, oito estão no nordeste brasileiro, a maioria deles, no sertão”, concluiu.

Viajando por financiamento coletivo, Neto irá produzir o documentário “Além do Meu Umbigo” que retrata a vida dos brasileiros nos dez municípios mais pobres do Brasil. Para colaborar com este iniciativa, clique aqui